Minha Estrada

estrada

Vou caminhar até onde puder, até meus pés se cansarem e até onde minha estrada me levar. Sou eu quem escolhe o caminho e os atalhos providenciais. Sou eu quem faz a travessia em direção ao meu destino, que vai até o ponto final, ou além dele.

E nessa caminhada me deparo com vários obstáculos, com asfaltos desgastados e curvas perigosas. Sou surpreendida pela paisagem, embora quase nunca tenha tempo para admirá-la. Isso porque estou sempre tão concentrada em “chegar lá” que acabo me esquecendo de olhar ao redor.

Vou livre em direção ao meu encontro, o encontro com minha alma limpa, que deixei guardada em algum lugar enquanto arriscava a vida aqui, do lado de cá. E enquanto me liberto das amarras sociais que me impuseram por toda a vida, sou acorrentada por outras mais fortes e poderosas, as amarras que estão na minha própria mente, aquelas que só eu consigo soltar. Só ainda não descobri como…

Então, tento me esquecer que sou livre dentro de um corpo pequeno, e prefiro pensar que sou grande o suficiente para caminhar firme pela estrada que escolhi. Porque as opções são ilimitadas e eu sempre posso mudar o meu caminho, basta querer.

Fui! (caminhar…)

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa