Ela

leve2

Ela lutou anos contra si mesma. Tentou se adaptar ao gosto dos outros, tentou ser o modelo que os seus gostariam, entregou os desejos dela à pura sorte da vida, fez crer que sabia menos para pagar pelo serviço especializado que lhes ofereciam. 

Ela foi muitas em vários momentos, mas não havia conseguido ser ela mesma até hoje. Fez promessas aos outros que jamais cumpriria de fato, porque sabia que nunca seria fiel à um alguém que só lhe admirasse com cabelos longos. Não seria capaz de usar saias rodadas porque queria sentir a liberdade dos seus passos largos em calças sérias e caretas. Não seria ela se fosse mais uma. Porque ela é assim: única em seu estilo, em seus pensamentos e em sua forma de encarar a vida.

Ela não se resume à palavras, é totalmente desconectada do fútil bem da sociedade. Quer mais da vida do que as meninas do seu bairro e não se importa em aparecer maquiada apenas com as suas tatuagens.

Ela gosta de ser livre e, para isso, descobriu que tem que ser sutil em suas escolhas. Saber escolher o certo é uma árdua tarefa, mas ela conseguiu quando começou a olhar para si mesma e entender o que lhe fazia feliz…

Fui! (aprender com ela…)

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa

3 thoughts on “Ela

  1. Muito Eu! No texto, na fotografia…
    Lindo!!!

Comments are closed.