Suas Promessas

De todas as promessas que faremos em nossos votos, as que mais me importam são as que residem nos detalhes da nossa convivência… nunca quis sua promessa de fidelidade conjugal, apenas sua real intenção em ser fiel a minha felicidade; quero a fidelidade do seu pensamento em todos os momentos em que eu estiver nua com você. Quero seu desejo permanente, mesmo quando estiver amamentando nosso filho, ou quando não estiver na minha melhor forma…

Espero que jure amor eterno à minha alma debochada, irônica e infantil. Quero que ame minha percepção realista e, por vezes, temerosa da vida que nos acompanha… quero enxergar verdade nas promessas feitas para durar e não nas que serão postas em um altar enfeitado, para depois serem expostas em alguma briga vulgar, sem propósito e sem razão. 

Não quero a promessa de que você estará ao meu lado se algum dia meu corpo adoecer; ao contrário, quero que vá embora caso não se sinta apto a cuidar de mim como deveria; mas, se ficar, quero que cuide da minha alegria, para que eu me recupere mais rápido e com mais vontade para voltar à minha plenitude. 

Quero que me prometa que não vai me deixar usar óculos escuros por muitas horas, para que eu possa enxergar a maravilha que é o mundo, com todas as suas cores exuberantes. Quero que me obrigue a comer aquele chocolate que tanto amo, sem pena de engordar em lugares que só me farão ficar ainda mais deliciosa do que já sou e, por fim, quero a sua promessa de que vai manter viva a minha autoestima, tão essencial para minha sobrevivência quanto escassa na imensidão de bons sentimentos que nutrem a minha expectativa sobre mim.

Quero que saiba que eu perdoarei suas falhas no decorrer do caminho, mas não aceitarei falta de caráter com a nossa história, aquela que deve ser sagrada diante das nossas futuras reflexões e que fará você escolher o melhor caminho para voltar para a sua casa, sempre que surgir alguma dúvida sobre nós…

E, se você resolver ir embora algum dia, quero se lembre do juramento mais importante que me fez quando tomamos banho juntos, em uma terça-feira qualquer do mês de agosto: que eu teria sempre o gosto do seu amor, acobertando meu corpo com as orações de bem-querer, que guardariam as descobertas que fizemos juntos durante todo o tempo que compartilhamos entre nós…

Fui! (Cumprir minhas promessas de amor…)

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa