Suas Promessas

De todas as promessas que faremos em nossos votos, as que mais me importam são as que residem nos detalhes da nossa convivência… nunca quis sua promessa de fidelidade conjugal, apenas sua real intenção em ser fiel a minha felicidade; quero a fidelidade do seu pensamento em todos os momentos em que eu estiver nua com você. Quero seu desejo permanente, mesmo quando estiver amamentando nosso filho, ou quando não estiver na minha melhor forma…

Espero que jure amor eterno à minha alma debochada, irônica e infantil. Quero que ame minha percepção realista e, por vezes, temerosa da vida que nos acompanha… quero enxergar verdade nas promessas feitas para durar e não nas que serão postas em um altar enfeitado, para depois serem expostas em alguma briga vulgar, sem propósito e sem razão. 

Não quero a promessa de que você estará ao meu lado se algum dia meu corpo adoecer; ao contrário, quero que vá embora caso não se sinta apto a cuidar de mim como deveria; mas, se ficar, quero que cuide da minha alegria, para que eu me recupere mais rápido e com mais vontade para voltar à minha plenitude. 

Quero que me prometa que não vai me deixar usar óculos escuros por muitas horas, para que eu possa enxergar a maravilha que é o mundo, com todas as suas cores exuberantes. Quero que me obrigue a comer aquele chocolate que tanto amo, sem pena de engordar em lugares que só me farão ficar ainda mais deliciosa do que já sou e, por fim, quero a sua promessa de que vai manter viva a minha autoestima, tão essencial para minha sobrevivência quanto escassa na imensidão de bons sentimentos que nutrem a minha expectativa sobre mim.

Quero que saiba que eu perdoarei suas falhas no decorrer do caminho, mas não aceitarei falta de caráter com a nossa história, aquela que deve ser sagrada diante das nossas futuras reflexões e que fará você escolher o melhor caminho para voltar para a sua casa, sempre que surgir alguma dúvida sobre nós…

E, se você resolver ir embora algum dia, quero se lembre do juramento mais importante que me fez quando tomamos banho juntos, em uma terça-feira qualquer do mês de agosto: que eu teria sempre o gosto do seu amor, acobertando meu corpo com as orações de bem-querer, que guardariam as descobertas que fizemos juntos durante todo o tempo que compartilhamos entre nós…

Fui! (Cumprir minhas promessas de amor…)

O Que a Cinderela Quer?

E de repente o sonho de toda uma juventude se foi… as Cinderelas perderam seus status e passaram a ser as cortesãs da cidade, sempre em busca de um pouco mais de algo que elas mesmas nem sabiam ao certo o que era… 

No começo, elas descobriram que seu orgasmo era mais importante que seu recato, e com isso quiseram experimentar várias formas de prazer e ousaram ser autênticas em um mundo de pura hipocrisia. Mas descobriram, sem tardar muito, que o português é essencialmente masculino no quesito “qualidade”,  que esconde o gênero feminino sem nenhum pudor ou vaidade; descobriram também que, por mais que se esforçassem em permanecer belas, as Cinderelas, inevitavelmente, seriam trocadas por outras ainda mais belas, ou mais jovens, ou mesmo, mais livres. 

Elas aceitaram continuar com seus afazeres domésticos após receberem seu pesado anel, tão pesado quanto o fardo do dia a dia, que lhes cansavam a visão e lhes enchiam de pequenas coisas chamadas ansiedade, frustação e desânimo. As Cinderelas aceitaram parir o fruto desta união, que lhes entregou uma nova perspectiva de amor e, igualmente de cansaço.

Elas tentaram voltar para o trabalho, algumas conseguiram, outras não. Continuaram a tentar então. Mantiveram-se firmes no propósito de ter uma casa arrumada, uma mente sã e uma geladeira abastecida de todas as comidas mais saudáveis possíveis. Ensinaram suas crias que a vida regrada e dentro dos limites é a vida segura, que vai lhes favorecer o sucesso no futuro e, assim que os seus  iam dormir, se afundava em comprimidos, taças de vinho e pedaços de chocolate. 

As Cinderelas da vida moderna viram seu amor sair pela porta que um dia entraram juntos, rumo à uma vida feliz, cheia de expectativas e promessas. Hoje elas descobrem seus orgasmos com estranhos de aplicativos de relacionamento, fazem massagem tântrica e lêem conteúdo erótico. Elas não se cansam de escolher novas formas de sentir prazer, apesar de sua pele mais áspera e ressecada, apesar dos vários acessórios que juntaram pelo caminho…

Elas tiveram que sonhar outros sonhos, alguns bem diferentes do que haviam sido ensinadas a sonhar. E acabaram descobrindo que o seu querer inicial não era bem o “príncipe”, mas sim um vestido lindo e uma festa foda…

Fui! (Ensinar minha filha a escolher melhor seu vestido…)