Que Bom!

Que bom que você resolveu voltar… bom saber que ainda somos um em meio a tantos. Que bom que não nos perdemos de nós, como fizeram nossos pais e os amigos deles. Bom pensar que ainda temos motivos para acreditar no caminho que escolhemos, aquele mais íngreme e tortuoso, mas igualmente encantador.

Bom poder me olhar no espelho e encontrar seu rosto, aquele que me acalma e me traz serenidade. Que bom ser completa em um dia tão complicado como esse… que bom que tenho você para escutar as músicas antigas que tanto gosto e que nos envolve como uma sintonia inebriante.

Que bom estarmos juntos nesse quarto frio, assistindo os programas sem graça e comendo aquela comida gordurosa que satisfaz meu corpo cheio de impurezas cotidianas, mas redondamente feliz por absorvê-las. Que bom saber que você não me abandona quando a vontade de estragar mais um pouquinho minha rotina rígida, toma conta de mim . E que bom saber que você está aí, quando eu retomo as boas práticas que estabeleci para a minha vida.

Bom saber que você me acompanha, na suavidade das cores claras que envolvem minha aura feliz e na escuridão dos tons negros que envolvem minhas tristezas profundas, que estão escondidas lá no fundo da minha alma, mas que insistem em sair para passear de vez em quando…

Que bom ter você ao meu lado, durante todo o percurso, do começo ao fim, desde sempre e para sempre. Para você, meu amigo imaginário, também chamado de “autoestima”, te peço um pouquinho mais de paciência… a quarentena já está acabando.

Fui! (Ficar quietinha ao meu lado…)

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa