As coisas que eu vi…

balanco

Eu vi o tempo passar por mim como se eu não estivesse ali… vi pessoas me julgando, pessoas que queriam meu bem e outras nem tanto. Vi o Mundo se mover de forma estranha, de forma cruel; vi muitas brigas pelo caminho, desentendimentos e orgulhos feridos. Vi a desilusão no rosto de quem jurava acreditar, a descrença de quem pregava a sua fé em todo dia santo, na casa de contemplações, na famosa praça do Centro.

Vi os sonhos de alguns familiares caírem por água quando o filho pródigo mostrou que não era tão especial assim, nem tão bom e nem tão devoto quanto se esperava. Vi as mazelas de tantas traições consumirem os órgãos perfeitos dos que eu amava e os transformarem em produtos da doença do século, daquela que mata mais de desgosto e desamor do que de nicotina ou outras químicas…

Vi a angústia tomar conta dos mais velhos, que já não encontravam razão nas palavras de ordem desta nova sociedade, cheia de objetivos bonitos e preconceitos velados. Vi os álbuns de fotografia serem substituídos por artefatos digitais, desses que nos fazem enaltecer uma beleza que estava aí, mas que não refletia a nossa verdadeira emoção. 

Vi episódios de louvor e clemência; vi derrotas e falhas, choros e lamúrias, mas vi também histórias de fé e superação; vi nos olhos dele a vontade de mudar, de fazer tudo diferente, se tivesse outra oportunidade…

Vi o tempo passar  tão rápido que parece que não consegui aproveitar direito a beleza que é viver ao lado deles, dos meus amores mais plenos. Porém, vi seus sorrisos quando pensavam na história que construímos, quando se lembravam de nós em todos os momentos alegres que desfrutamos, no breve espaço de tempo que nos foi permitido compartilhar nosso amor, e isso bastou para acalmar meu coração angustiado por perfeição.

Vi muitas coisas nesta jornada deliciosa chamada “vida”. É certo que o caminho nem sempre foi fácil, mas continua sendo foi muito, muito prazeroso percorrê-lo ao lado deles, dos meus amores…

Fui! (Continuar minha caminhada…)

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa

One thought on “As coisas que eu vi…

  1. E ainda com o tudo visto, o tudo que se vê e o tanto que há para se ver, ainda assim será instante. Linda crônica, Cris.

Comments are closed.