Te Amo!

Te amo! É o que tenho vontade de dizer quando penso “nele”. Naquele abraço apertado que me aquece e me acomoda generosamente no seu peito. Ele, que me chama de “puta” e me olha com ternura quando me vê escovar os dentes. Ele, que está aí quando eu preciso e quando não preciso também, mas quero. Ele, que me deixa com vontade e que não me satisfaz sempre, só para me dar um gosto de quero mais. Ele, que me sufoca de tesão e que me estimula a ser mais. Ele, que me dá o que eu nem pedi. Ele que me quer mesmo com o cabelo despenteado e a depilação atrasada. Ele, que não se importa pelas futilidades do dia-a-dia e que não exige o conhecimento político-financeiro do cotidiano, mas que me faz ler mais do que eu necessitaria para me sentir culta. Ele, que me faz parir para perpetuar a nossa linhagem pelo Mundo. Ele, que me cheira inteira e sorri de satisfação. Ele, que é muito mais do que um amigo e um pouco menos que um amante. Ele, que consegue encontrar o equilíbrio perfeito entre os hemisférios norte e sul do meu corpo.

Para ele eu digo: Te amo!

Fui! (amar muito…)

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa