Madalena Arrependida

balanco3

Madalena não vive de recordações. Preferiu separar os sentimentos do passado e do presente para poder seguir sua vida dentro da normalidade cotidiana dos dias atuais. Os sentimentos do passado lhe causam dor, mas reavivam sua essência carente e frágil. Resolveu, então, pintar os cabelos para achar um motivo novo para se preocupar…

Ela não se arrisca a viver do antes, senão do único e puro “agora”. As decepções ficaram empoeiradas em alguma estante cheia de livros e memórias. Se esqueceu de sofrer pelo que já não vai mudar. Preferiu ficar leve e desembaraçada em cima das suas verdades atuais a ter que deparar-se com as circunstâncias das suas desventuras.

Já não é uma menina e tem o tempo como seu companheiro de quarto, aquele que não vai esperar para marcar seu lindo rosto com os rastros cruéis das suas mágoas. Madalena prefere sorrir a ter que viver agoniada por seus arrependimentos. Ela prefere encontrá-los em outro momento, mais pra frente, sem pressa e sem culpa.

Fui! (aprender com a Madalena como viver bem…)

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa