O Que Eu Quero

beijo

Se você me perguntar o que eu quero neste momento, te responderei apenas com meu corpo. 

Quero beijar a superfície carnuda e macia dos seus lábios generosos; quero abraçar seu corpo inteiro, com a fartura das suas dobras e peles, com a maciez das partes molhadas e a aspereza das partes mais acessíveis.

Quero encontrar as dobras que se escondem dos olhares curiosos de todos que convivem com o seu carisma, e quero salpicar um pouco da minha saliva para marcar esses espaços com o meu gosto mais peculiar, aquele que tem um cheiro doce e um paladar amargo…

Quero vasculhar seus sentidos até encontrar aquele ponto que faz você se contorcer com pequenos espasmos musculares e que faz seus olhos flutuarem sozinhos nas órbitas que geralmente estão cheias de imagens do cotidiano,  mas que nesse momento estará plena de mim, enorme e envolvente.

Quero entrar dentro do seu corpo com uma pequena dose de brutalidade, que vai fazer você gemer de prazer na mesma intensidade em que você vai se entregar para mim, em movimentos possíveis e reais, em um ritmo constante e vulgar.

Quero te deixar desconcertado, cheio de vontade de mim, com uma temperatura mais quente no centro do seu corpo e com as suas extremidades mais frias, com lampejos de tesão, com gotas de prazer e com lágrimas de alegria…

É isso que eu quero.

Fui! (buscar…)

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa