Pular para o conteúdo

Amarras

julho 8, 2014

051

As amarras que nos prendem são também as amarras que nos fortalecem. Isso porque, sempre que tentamos sair delas, somos machucados, e violentamente lembrados pela dor, do quão fortes temos que ser para podermos seguir em frente. As cicratrizes muitas vezes não se fecham completamente e necessitam de reparos e soluções alternativas. O mesmo serve para a dor que elas provocam, e que constantemente volta em forma de aviso e nunca na forma de uma simples lembrança. Porque, se as amarras são fortes, mais forte ainda é a nossa ligação com elas. E essas amarras são, na prática, a nossa ligação com as fraquezas da nossa alma, que não queremos ver ou ouvir.

O que nos faz, muitas vezes, levantar e recomeçar, não é o futuro brilhante que lampeja amistoso ao longo, oferecendo um universo de novas possibilidades, é a vontade de nos livrarmos de uma dor do passado, da ponta afiada de um arame que insiste em nos ferir, e dos nós, atados e emaranhados, de todo o drama do nosso empoeirado passado. 

E se olhamos para trás e não enxergamos as amarras, é porque, muito provavelmente, elas já foram retiradas por algum cirurgião. Mas se olharmos bem de perto, vamos notar que existem cicatrizes por todo o lado, ainda que pequenas e aparentemente imperceptíveis…

Fui! (Buscar um “bom” cirurgião plástico…)

No comments yet

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: