Seu Sabor

Tento aliviar meu calor com os movimentos dos meus dedos, todos unidos em doses providenciais de toque e pressão, em compassos descasados de angústia e alegria, de gozo e contemplação. Meu corpo agradece os lampejos de satisfação, mas me pede aflito um pouco do seu sabor para nortear meus desejos, para me mostrar o caminho e para curar a vontade que é ter você dentro de mim…

Para continuar lendo o restante do texto Faça Login ou Cadastre-se.

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa