Sua Bossa…

Com seu quadril largo encaro a realidade que é viver ao seu lado. Sou refém do seu gingado, dos passos bem dados, da irreverência do seu balanço.

Observo com desejo o balanço dos seios que caem sobre sua pele nua; admiro-os trepidando sobre seu corpo exposto, sem pudor por se mostrarem tão protuberantes com seus bicos em rija, prontos para virem direto para minha boca.

Desço para o movimento do seu sexo, que me convida a entrar de forma faceira pela parte mais molhada, para guardar um pouco do meu prazer mais genuíno dentro dessa sua bossa…

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa