Sem Pudor

Tudo o que eu peço é a sua liberdade em forma de entrega. Tudo que quero é o toque aveludado, o som frenético como quem dança extasiado em uma segunda-feira de carnaval e o olhar singelo de quem diz “me ame ou me come”. Tudo que eu preciso é de você assim, inteira à minha espera, saltitante, molhada, sem pudor…

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa