Molhada

Molhada espero por seu toque. Molhada me contorço de prazer só de pensar na sua língua deslizando por todos os meus contornos e absorvendo os líquidos que saem do meu corpo em direção ao seu. Molhada me entrego para você, sem pudor, sem pressa, sem direção. Molhada, dou o melhor de mim, o meu espaço sagrado e o meu espaço restrito também. Molhada, sou completamente sua, de todas as formas e do jeito que você quiser…

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa