Depois…

Depois de tudo que passamos, escondo a minha felicidade em um lugar bem próximo dos meus seios, daqueles que foram generosamente acariciados e beijados pela sua boca sedenta de vontade. Deixo essa felicidade descer pela minha barriga até encontrar minha extremidade mais íntima e vulgar. Faço das lembranças um carnaval de emoções e choro de prazer quando seu rosto vem à minha mente. Me entrego novamente a você, em silêncio, à distância e escondida entre meus edredons…

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa