Linda

Entrei no quarto escuro e te vi deitada. Nua, linda, branca. Se tocava com cuidado e extrema aflição. Estava concentrada. Parecia nascer naquele momento. De dor e gozo se fez o riso. E você, envergada no silêncio do seu deleite se fazia plena em si, com o seu olhar de doação e entrega…

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa