Pelas Dobras

Pelas dobras amassadas da lateral do seu corpo, percorro o caminho fácil até o seu sexo. Toco em sua pele suave e acompanho a delícia que é, te ver contorcer de prazer e agonia, em doses palatáveis de desejo e gozo. Acompanho seus movimentos e retrocedo a cada gemido mais intenso, deixando com que sua vontade seja soberana à minha curiosidade, para que você me entregue o que tem guardado em seus pensamentos mais indecentes… e quando menos espero, percebo suas dobras se esticarem com o conjunto do seu corpo molhado, entregue e dormente.

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa