Skip to content

A Lei da Compensação

outubro 5, 2017

menina

Não se constranja se seus amigos não quiserem mais compartilhar alguns momentos ao seu lado. Outros virão e alguns ficarão aí, em silêncio escutando a mesma música que você gosta. E se ele não chegar na hora que vocês combinaram, ou ainda, se ele nunca mais chegar para te buscar, é você quem deve buscar um outro amor. Um que esteja por aí, escondido de si mesmo em algum bar da cidade, esperando justamente por você.

Não se atrase para os seus compromissos, mas também não chegue muito cedo, antes do expediente começar ou da loja abrir. Seja honesta consigo mesma, até na hora em que você perceber que perdeu aquilo que mais valorizava. Acredite: na maior parte das vezes não sabemos dar valor ao que realmente nos importa…

Viva com intensidade, até mesmo no seu sofrimento, mas tenha em seu coração que um dia “ela” lhe trará a paz e a serenidade que você tanto precisa. Ela, a “lei da compensação”. Ela, que não costuma ser muito pontual na urgência das nossas aflições, mas quando finalmente chega, nos causa um alívio imediato. Ela, que nos traz um senso de justiça que se espalha para todos os cantos da casa e, igualmente, para os cantos estressados do nosso rosto apreensivo, ansioso pelas boas notícias.  E a reza de todo dia pedindo algo tão importante se transforma em agradecimento quando o nosso presente chega; em outro pacote, em outra circunstância, com outra cara. Mas chega.

E até que esse presente chegue, não se canse de você. Mesmo que todos a sua volta pareçam estar distantes, isso é apenas um teste que a vida está te dando para saber se você, mais do que ninguém, consegue compensar as suas próprias faltas e encontrar razão no seu sorriso. Porque a vida trata disso: de não enjoarmos de nós mesmos enquanto esperamos pela lei da compensação…

Fui! (viver feliz, comigo e com quem mais quiser vir junto…)

Anúncios

Cansei…

outubro 3, 2017

cansei2

Ah… cansei de você! Cansei dos seus discursos moralistas, da sua forma óbvia de ver o mundo, da sua reação de espanto a tudo que você não se identifica. Cansei do seu “protocolo” e de todas as palavras que o acompanham. Cansei mesmo…

Não podemos caminhar juntos se só você tem o mapa, a bússola e a direção. Não podemos, se só você escolhe os caminhos e os atalhos… 

Somos piores juntos porque não conseguimos encontrar entre nós algo que se pareça com uma conexão, somos sempre eu e você, separados por essa linha divisória que insiste em nos dividir e nos delimitar. Então, eu parei de lutar contra e decidi aceitar que ela existe. Ela, a diferença dos nossos objetivos de vida, a diferença entre nós.

Não quero ser a sua “morada perfeita”, queria ser a pessoa que divide a casa com você, aquela que compartilha os seus sonhos e você os meus. Aquela que divide a vida, sem para isso ter que dividir os meus sonhos. Queria tanta coisa com você, tanta… mas hoje me sinto obrigada a ser livre e honesta com meus desejos; estou comprometida comigo, em um grau que acho que você não vai entender, porque o seu compromisso não é com a sua felicidade, mas com os ideais que você decidiu abraçar e seguir.

Fui! (Ser feliz…)

“Humanofobia”

setembro 25, 2017

humanofobia

Que os Deuses me ajudem a superar o horror que começo a sentir da raça humana. De tudo que vem dela, e em especial, do desconforto ao confiar que minha presença será tolerada, que meus entes queridos serão respeitados e que, juntos, receberemos o mérito por tentarmos ser exemplo de “boa fé” na espécie humana. 

Que seja louvável a minha persistência em transformar projetos de pessoas em representantes da boa vida; da vida que é possível de ser vivida dentro das arestas cerceadoras da moral e do social. Que minha força de vontade seja mais plena que a deles, que insistem em denegrir o pequeno espaço que chamo de “Mundo”. 

Que meus anjos digam “amém” cada vez que me encontro com eles nos sonhos que imagino serem dignos de mim, ou de nós.

Que todos os meus companheiros de estrada percorram o labirinto que existe até chegarmos a nós mesmos e que, cada lacuna desta vida humana, seja uma oportunidade para aprendermos a ser melhores que os obstáculos que se sobrepõem à nossa vontade.

Que os humanos sejam cada vez menos humanos e que conheçam um pouco mais do sagrado que lhes espera ao final da jornada. Que possam desfrutar por antecipação as boas novas da nova geração de filhos pródigos, que se encantam por poder compartilhar o que ganharam por merecimento, e que não se importam em abrir mão do que seria seu, mas que preferem que seja do Mundo todo…

Fui! (rezar com mais fé…)

Ao Seu Lado

setembro 24, 2017

amigos

Caminhando ao seu lado por todo o percurso, chego ao ponto em que percebo que já não estamos mais no mesmo ritmo. Me causa dor e tristeza ter que deixá-lo para trás, sem saber se algum dia retomaremos a nossa caminhada da mesma forma fácil e leve com que conquistamos cada quilômetro dessa estrada.

Percebo que seus pés estão calejados e cheios de arranhões; diferentes dos meus, que se mantém fortes, ásperos e duros. Sua pele sempre foi mais fina e sua disposição, igualmente, mais debilitada. Sua saúde sempre deixou um pouco a desejar e sabemos que você jamais seria um corredor nato. Eu sei que são milhões as diferenças que nos afastam, mas são tantas as semelhanças que nos aproximam também…

Posso ser mais forte fisicamente, mas muito da minha força vem de você, do olhar doce e suave com que você sempre me incentivou a continuar, a atravessar meu oceanos de incertezas e meus desertos de angústias. Hoje sou mais forte porque tenho esse seu olhar de admiração, de incentivo e de perdão.

Sou mais eu, em passos largos, do que jamais fui durante todos os passos pequenos que dei ao seu lado. Mas esses passos só são possíveis porque a solidão que sinto é incompleta. Você está aí, em algum lugar lá atrás, olhando o caminho que se estende à frente e desejando que eu conquiste os novos quilômetros com força e sabedoria.

Fui! (caminhar…)

 

Até Logo!

setembro 22, 2017

gruponapraia

É estranho acordar e pensar que você não está mais aqui. É estranho saber que seu corpo se foi e que sua alma está livre em algum lugar que não consigo enxergar. É bem estranho pensar em você em um outro local que não aqui, sentado ao meu lado tomando seu café. 

Não sei o que você pensa sobre destino, sobre reencontros e sobre caminhos que se cruzam. Não sei ao certo se você consegue ver que estamos indo na mesma direção, só que você está um pouco mais adiantado… 

Queria tanto saber o que você já descobriu,  contemplar o que os seus novos olhos estão vendo, vivenciar essa nova vida que você foi convidado a participar. Queria tanto estar ao seu lado, onde quer que você esteja. Mas ao mesmo tempo, olho para trás e percebo que os nossos ainda estão aqui e que eles não estão preparados para perder nós dois… então, entendo que temos que nos separar um pouquinho para vivermos essas vidas sozinhos. 

E apesar do futuro ser incerto, é certo que nos encontraremos de novo, em alguma esquina, em algum canto, prontos para saborearmos de novo o nosso café…

Fui! (pensar em você…)

 

Não Quero a Sua Cura!

setembro 19, 2017

051

Quero caminhar ao meu encontro. Quero experimentar as maravilhas da vida. As maravilhas que eu enxergo, da vida que é minha. Quero andar por caminhos tortos e construir meus rastros por esse mundo igualmente torto. Quero ser eu em meu corpo durante toda a caminhada e não, não quero a “cura” para as minhas opções.

Porque são as minhas escolhas que me definem. Quero ser definido por elas e não por quem insiste em dizer que minhas escolhas estão erradas. Se sou um “mal” para a sociedade em que vivo, serei esse mal para sempre, e serei cada vez mais “mau”. Porque vários podem tentar me acorrentar, vários podem tentar me modificar e vários podem tentar acabar com a minha essência. Mas eu digo: não vão conseguir. Eu não vou mudar. E eu não quero mudar…

Essa pele é a pele em que eu habito, e esse corpo é o corpo que contempla meus desejos. E meus desejos são todos reflexos da minha representação, do meu eu mais profundo e honesto. É nesse corpo que vou carregar o peso das contrariedades e despropósitos de um mundo sem sentido, mas um mundo que é meu também. E é nesse corpo que gritarei mais alto, que jamais me curvarei aos que desejam minha abnegação. 

Porque eu não quero curar a minha alma, ainda que lhe pareça suja ou imoral. É a alma que carrego dentro do meu corpo, que é meu santuário, escoltado pelos desejos que me tornam humano. 

Não, eu não quero a sua cura. 

Não preciso da sua cura. 

Preciso apenas do seu respeito.

Fui! (gritar…)

“Menininha”

setembro 16, 2017

menininha

Adoro você assim: bem menininha. Delicada, feminina, colorida. Adoro suas travessuras, seu sorriso tímido, seu jeitinho leve e cheio de charme. Adoro sua bossa, aquela que encanta e suaviza o ambiente. Adoro a forma que você caminha, que requebra levemente os quadris, como se estivesse dançando, quase flutuando…

Adoro você, menininha. E peço que, depois de adulta, você continue assim, com cheiro de flor. Daquelas flores doces, que desabrocham sem perder a graça. Que encantam sem agredir. E que sabem usar seus espinhos, se forem arrancadas do seu lugar de origem. Porque eu sei que de frágil você não tem nada, aliás, foi invenção de um alguém desavisado que menina com mãos pequenas e olhos amendoados, que se vestem com roupa cor-de-rosa, não sabem se defender.

A sua “arma” é a forma sorrateira que você usa seu sorriso, a maleabilidade que você tem quando muda o tom de voz para pedir algo e a suavidade dos seus passos quando você quer sair sem chamar a atenção.

Mesmo sabendo que você um dia vai crescer e vai mudar, continuarei a admirar a sua ternura, aquela que não vai embora nunca. A sua essência doce e suave, delicada e leve…  a sua “menininha”.

Fui! (Me encantar cada vez mais com você…)