Etéreo

Volto à superfície cada vez que escuto o seu chamado. É o olhar doce, aquele que contempla meu rosto cansado, que me faz refletir sobre a minha importância nesse espaço sagrado. É a sua forma de dizer que me ama, somente com o seu toque, tão delicado e sutil, que me enternece de nostalgia pelos anos vindouros, que ainda não chegaram, mas que já comovem meu coração ansioso. E é a sua presença etérea que me faz entender o verdadeiro significado de Deus.

Para continuar lendo o restante do texto Faça Login ou Cadastre-se.

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa