Minhas Dores

Rezo a Deus por mais tempo ao lado dos meus, mas evito pedir que me dê mais tempo comigo mesma, em uma oportunidade para ter uma conversa franca com minhas dores e agonias do passado. Elas pertencem ao passado, mas estão presentes no meu dia a dia, enchendo minha cama com um peso três vezes maior que meu corpo, corroendo as esperanças que tenho de um dia encontrar paz e fazendo com que meu futuro se torne mais turvo e mais carregado que as nuvens espessas de uma tarde de tempestade.

Para continuar lendo o restante do texto Faça Login ou Cadastre-se.

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa