Aos que se foram…

Aos que se foram, os que partiram e que deixaram esse imenso eco na sala cheia de lembranças inoportunas, declaro a eternidade das minhas emoções, todas pontuadas com risos e frases de efeito, e quase sempre, amadurecidas na seriedade do tom de voz de cada um de vocês, com toda delicadeza que minha mente inquieta consegue expressar.

Para continuar lendo o restante do texto Faça Login ou Cadastre-se.

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa