Minha Estrada

estrada

Vou caminhar até onde puder, até meus pés se cansarem e até onde minha estrada me levar. Sou eu quem escolhe o caminho e os atalhos providenciais. Sou eu quem faz a travessia em direção ao meu destino, que vai até o ponto final, ou além dele.

E nessa caminhada me deparo com vários obstáculos, com asfaltos desgastados e curvas perigosas. Sou surpreendida pela paisagem, embora quase nunca tenha tempo para admirá-la. Isso porque estou sempre tão concentrada em “chegar lá” que acabo me esquecendo de olhar ao redor.

Vou livre em direção ao meu encontro, o encontro com minha alma limpa, que deixei guardada em algum lugar enquanto arriscava a vida aqui, do lado de cá. E enquanto me liberto das amarras sociais que me impuseram por toda a vida, sou acorrentada por outras mais fortes e poderosas, as amarras que estão na minha própria mente, aquelas que só eu consigo soltar. Só ainda não descobri como…

Então, tento me esquecer que sou livre dentro de um corpo pequeno, e prefiro pensar que sou grande o suficiente para caminhar firme pela estrada que escolhi. Porque as opções são ilimitadas e eu sempre posso mudar o meu caminho, basta querer.

Fui! (caminhar…)

Eu Posso

eu

Eu posso caminhar pelo vale das sombras e transformá-los em lindos campos verdes. Posso fazer crescer o amor das pessoas pelas causas que me emocionam. Posso encontrar razão onde nada faz sentido.

Eu posso apostar em você e sei que vou acertar. Porque eu acredito. Acredito que tudo vai ficar bem, e que todos nós vamos sair daqui para algum lugar onde a música nunca acaba. E poderemos dançar até o amanhecer, e de novo até o anoitecer.

Posso te levar para conhecer meus amigos novos e compartilharmos juntos uma outra visão do mundo, de um mundo onde podemos ser e fazer o que quisermos. Em um mundo mágico onde podemos ser verdadeiramente “livres”.

Não me interprete mal, não sou a favor dos excessos, só os de felicidade. Também sou tão vaidosa assim, só quando estou calçada com meus saltos altos… aí sim, sinto que posso mesmo fazer tudo.

Fui! (fazer tudo!)

 

 

 

Todos os Botões

vestido2

Quando chegar o grande dia e você estiver terminando de fechar todos os botões do seu vestido, lembre-se de quem você é. Pense em todos os momentos felizes que desfrutou até esse dia, e não se esqueça das cicatrizes que carrega no corpo e na alma. 

Lembre-se do valor que você tem, da forma única de olhar, da sua voz tímida ao agradecer e da humildade que traz cada vez que pronuncia as palavras “me desculpe” ou “eu não tive a intenção”… lembre-se do seu esforço constante em tentar acertar e saiba que você acertou, muito.

Não se esqueça da beleza que você tem, com todos os quilos a mais ou a menos, com todas as imperfeições mais singelas, com todos os lados que não são simétricos, mas que são igualmente lindos.

Lembre-se que, a cada novo botão que se fecha em seu vestido, outros vários se abrirão em momentos distintos. Não permita que ninguém, em nenhuma hipótese, desmereça o privilégio de abrir os seus botões. Valorize seus momentos e valorize o seu corpo. 

E se alguém te decepcionar, não fraqueje. Se despeça e siga em frente. Entenda que o Mundo é muito maior que as ofensas e desilusões de algumas pessoas pequenas. Portanto, não se importe tanto com as pessoas que não forem te prestigiar na sua festa, ao contrário, valorize as que estarão presentes por você. 

E, finalmente, nunca pare de procurar pelo olhar de admiração dos que se importam com você pelo que você é. Porque o seu verdadeiro amor será aquele que te desejará com todos os botões fechados, que aproveitará cada segundo da expectativa em tirá-los, sem no entanto realmente desabotoá-los. Ele será aquele que respeitará o seu tempo e que vai esperar até o momento em que você peça para ele te ajudar a desabotoar…

Fui! (admirar você…)

Meu Prazer!

umbrinde

O prazer é meu! É todo meu… ver você feliz, saber que eu te agradei, me traz essa sensação de prazer. O prazer de ser gentil com você. Porque o que está em falta no estoque desse mundo é justamente ela, a “gentileza”. Sabemos pedir, exigir, reclamar. Mas dificilmente percebemos que não estamos entregando aquilo que nossos antepassados um dia nos ensinaram… 

E se falta gentileza, sobra grosseria, brutalidade, arrogância. Pedimos um pouquinho mais de tolerância, mas não conseguimos nos controlar quando alguém passa na nossa frente. Porque o talento é seu, mas o mérito deve vir sempre para mim. Somos controladores e queremos que a vida siga no nosso ritmo. Não fazemos quase nada por quase ninguém, mas quando é a nossa festa queremos a casa cheia, ainda que seja para decorar os ambientes e nos fazer pensar que somos amados. Mas e o vinho? O vinho é barato, assim como as taças, que são de acrílico.

À vezes achamos que nos esquecemos de sermos gentis, mas a verdade é que não estamos mais acostumados a sê-lo e, em sendo, temos medo de que não entendam a nossa boa fé. A vontade genuína de entregar só pela satisfação de entregar, de reverenciar e homenagear. A ideia de elogiar sem esperar retorno algum. 

E esse momento vai passar, assim como todos os outros, e o que restará será a lembrança de um aconchego, de um agrado. Restará a lembrança de que fui gentil com você e é isso o que importa. Porque a satisfação é sua, mas o prazer, o prazer é todo meu! 

Fui! (reaprender a ser suave e gentil…)

Da Cor dos Seus Olhos…

luz

Quero mergulhar em um mar da cor dos seus olhos. Quero entrar nele e sentir que todos os meus pecados foram perdoados. Quero a sensação da limpeza, do meu corpo sendo abençoado pelas águas cristalinas. Quero sentir de novo a paz que sentia, quando estava protegida dentro dos líquidos da minha mãe.

Quero ser melhor do que jamais fui e tentar de novo o que não consegui. Quero mais da vida e quero agora. Sem ganância e sem egoísmo; é apenas um “querer” puro, livre de segundas intenções. Quero um espacinho no céu da beleza e, se der, um pouquinho de aplausos também.

Saúde é essencial, mas eu não quero só ter saúde. Eu quero senti-la sair por todos os meus poros; quero perceber que ela está aqui, dentro de mim, e que é inesgotável a sua fonte, ainda que eu coloque meu corpo a todas as provas…

Quero esse azul misturado com tons de verde, ao redor da minha alma suja, para limpar um pouquinho da culpa cinza que carrego, colorindo ao meu redor a vida que passa por mim em ondas grandes e fortes, que me arrastam para baixo, mas que me trazem à superfície sempre que preciso respirar…

Fui! (encontrar o meu mar…)

Não Me Leve a Mal…

mulher5

Não me leve a mal, mas eu não acredito em você… não acredito nas suas promessas vazias, não acredito nas palavras rebuscadas. Eu sei exatamente quem você é e o que você está disposto a me entregar e, se você acha que está me enganando, você está errado. Sou eu quem está se enganando. Eu mesma que prefiro não olhar para o lado e tentar a sorte com um alguém mais parecido comigo porque morro de medo de me decepcionar, “mais”.

Então sigo nessa linha reta com você ao meu lado. Com você, que não tem os traços finos que eu sempre idealizei, com você que tem pelos em excesso e mãos grossas. Sigo com você para agradar aos que amo, mas quando fecho os olhos, penso nela, vestida de preto e com seus cabelos curtos espetando meu rosto enquanto nos amamos. 

Não me leve a mal, mas você não é o tipo de pessoa que eu me vejo passando o resto da vida ao lado, aquela pessoa que desperta o melhor de mim, e que me mostra o quão forte pode ser a dor da despedida, se ela se for.

Me escondo dentro das convenções da minha família, na missa de domingo, tentando ser quem eu não sou, amar quem eu não amo. E quando penso em você, penso em uma pessoa que só consegue acessar meu corpo, jamais minha alma…

Fui! (tentar algo novo e suave…)

Estou Aqui

Father Watching His Infant Sleep ca. 2003

Você pode não acreditar, mas eu sempre estive aqui. Enquanto você descansava dentro da barriga da sua mãe, eu já fazia planos para nós. Quando você sorriu pela primeira vez, quando falou a primeira palavra ou quando deu o seu primeiro passo eu não pude estar presente. Era sua mãe, sua avó ou uma babá que acompanhava esses momentos. Mas eu vibrei de felicidade quando soube, pode acreditar…

Quando você teve febre ou dor, muitas vezes eu estava no trabalho e não pude cuidar de você diretamente, mas minha preocupação e zelo não foram menores, te garanto. Todas as vezes em que você tirou notas baixas eu reclamei, e briguei com você quando desrespeitou a sua mãe. Também brigava quando você se rebelava e queria sair sozinho, ou quando saía e não voltava na hora combinada.

Você tinha um pouco de medo de mim… na verdade, acho que não era propriamente medo de mim que você sentia. Era medo das minhas broncas, um respeito duro que eu impus, mas necessário para a sua sobrevivência.

E eu aprendi com você. Aprendi muito! Comecei a dançar e a cantar, entendi que masculinidade nada tem a ver com machismo, e me permiti ser mais doce e mais gentil. Me viciei em abraços e beijos e me permiti chorar quando você alcançava alguma vitória.

Vi minha vida passar por mim todas as vezes em que você cumpria as etapas da sua. Me despedi dos mais velhos e encontrei em você a razão para continuar minha caminhada.

Perdi noites em claro pensando como conseguiria juntar tanto dinheiro para continuar a manter o seu padrão. Me preocupei demais com a sua estabilidade emocional e financeira. Não queria que você seguisse qualquer profissão que não te “levasse lá”, mas depois, você novamente me ensinou que só chegaria “lá” se fosse através do caminho que você escolheu.

Eu aceitei suas mudanças, eu mudei meus pontos de vista e melhorei para você.

E todas as vezes em que você me procurou e não achou, eu estava aqui, construindo os alicerces para fazer da sua vida um lugar mais seguro.

Porque eu quero o melhor para você… eu sou seu pai.

Fui! (te olhar…)