Ela

leve2

Ela lutou anos contra si mesma. Tentou se adaptar ao gosto dos outros, tentou ser o modelo que os seus gostariam, entregou os desejos dela à pura sorte da vida, fez crer que sabia menos para pagar pelo serviço especializado que lhes ofereciam. 

Ela foi muitas em vários momentos, mas não havia conseguido ser ela mesma até hoje. Fez promessas aos outros que jamais cumpriria de fato, porque sabia que nunca seria fiel à um alguém que só lhe admirasse com cabelos longos. Não seria capaz de usar saias rodadas porque queria sentir a liberdade dos seus passos largos em calças sérias e caretas. Não seria ela se fosse mais uma. Porque ela é assim: única em seu estilo, em seus pensamentos e em sua forma de encarar a vida.

Ela não se resume à palavras, é totalmente desconectada do fútil bem da sociedade. Quer mais da vida do que as meninas do seu bairro e não se importa em aparecer maquiada apenas com as suas tatuagens.

Ela gosta de ser livre e, para isso, descobriu que tem que ser sutil em suas escolhas. Saber escolher o certo é uma árdua tarefa, mas ela conseguiu quando começou a olhar para si mesma e entender o que lhe fazia feliz…

Fui! (aprender com ela…)

Sopro

sopro

A vida começa e se acaba como um sopro. Tantos momentos importantes passam por nós em uma velocidade incrível, que quase não conseguimos contemplá-los em sua magistral beleza. A vida corre em direção ao futuro e nos deixa de recordação nosso presente, mas que só conseguimos perceber quando vira passado.

São tantas as recordações que eu queria vivenciar de novo, são tantos os momentos que me marcaram… sou tão eu, em versões menores e sem tanta maturidade, que se veste de branco e brinca como uma criança ao lado dos velhos da minha família. Sou eu, virgem de traumas e desencontros, que queria passear pelo meu bairro, reencontrar aqueles que não pareceram nada além de simples passantes, mas que acabaram se tornando importantes ao final da estrada. Sou eu que queria sentir de novo o cheiro doce e artificial do condicionador que ela usava, ver suas unhas desgastadas, recorrer ao seu abraço enquanto escutamos um pouco da nossa música favorita.

E quanto mais eu vejo meu futuro se aproximar, mais eu desfruto meu presente com suavidade e complacência. Não quero perder nada nem pensar amanhã que esses momentos não foram degustados com o máximo de deleite possível. Quero sentir cada abraço, receber cada palavra de amor como um presente e respirar o perfume deles hoje, porque certamente seus cheiros serão diferentes amanhã… assim como suas vontades, assim como suas vidas.

Fui! (viver esse sopro que é a vida…)

Para Meu Filho

Parameusfilhos

Para você, meu filho, eu desejo o maior bem de todos: a sua felicidade. E desejo que essa felicidade venha em doses homeopáticas, para que você não se canse dela quando não for mais novidade…

Desejo que você busque a sua felicidade, onde quer que ela esteja escondida, mas também desejo que você não se feche para novas formas de ser feliz, mesmo que essa fórmula não esteja na receita que eu passei para você.

Desejo que tenha filhos, mas se não tiver, tudo bem. A perpetuação da sua linhagem pelo mundo não será através de outro ser que você criou, mas de todas as coisas maravilhosas que você falou, escreveu, desenhou e fez. Você será lembrado por quem te amou, aqui ou em outro plano e isso já basta.

E, caso você resolva ter filhos, desejo que você os ensine a ser o melhor que eles puderem para eles próprios, porque a vida trata disso: de melhorarmos para nós mesmos. Não replique os meus ensinamentos, eles provavelmente estarão ultrapassados, mas replique sempre a forma incondicional que eu te amo. Esta forma meio louca e meio sem sentido que só quem é mãe ou pai entende. 

Quando você for adulto e for julgado pelos seus erros, espero que você tenha a força suficiente para se levantar e seguir em frente. E desejo que não devolva as agressões que você sofrer, elas só estão no seu caminho para te testar, são meros obstáculos na sua caminhada… não se esqueça do seu valor, porque você tem, muito. 

E, por fim, desejo que você não se culpe mais que o necessário pelos seus erros. Eles são erros que fazem parte da sua história, mas você não é um erro, você é um grande acerto do destino. 

Você é meu filho…

Fui! (Te amar para sempre…)

Por Onde Andei

foto_portiagomambira

Trago no peito as emoções que senti durante o meu caminhar. Trago na mente as lembranças do que vivenciei ao lado dos meus. E trago nos pés as marcas desta caminhada: a sujeira, as cicatrizes, as bolhas e os calos…

Trago na bagagem os amigos de uma vida e os amigos de encontros fortuitos. Trago as risadas e as lágrimas. Trago tudo que ajudou a construir um pouco de mim, que criou as referências do que busco ser. Os traumas que tive que superar para chegar aqui, para encontrar um pouquinho da paz que sinto hoje. Trago as vitórias e as derrotas, todas sincronizadas na mesma estação.

Hoje busco um caminho sem tantas pedras, ainda que esse caminho não seja tão atrativo, ainda que seja mais longo… mas prefiro sentir o calor dos abraços sinceros, aqueles que não vêm rebuscados com frases de efeito nem com convites irrecusáveis. Prefiro o frio da indiferença de quem não me quer mal, mas também não deseja compartilhar comigo o seu precioso tempo. Prefiro a ignorância nada sutil dos que não me adoram do que a arrogância dos que dizem estar a meu lado, mas que na verdade nunca estiveram…

E esse caminho torto que segui me mostrou que não preciso me transformar em muitas para agradar aos que tanto quis bem, jamais os agradaria da forma que eles me buscaram. E jamais me tornaria um alguém que não consigo reconhecer em mim…

Então sigo descalça, rumo a um lugar chamado “felicidade”. E levo minha bagagem pesada, mas na medida em que avanço nesse caminho, sinto cada vez menos o seu peso…

Fui! (seguir em frente…)