Malandragem

Malandro que é malandro esconde o jogo… Segura a melhor carta até o ponto em que pode dar a volta por cima. Malandro não tem pressa, não tem apuro, não se desespera. Malandro planeja com cuidado, “escolhe”. Malandro não ama, se apaixona. Não se deixa levar, conduz. E se salta aos olhos pode-se dizer que é um galanteador. Mas não passa de um menino maduro que sabe cantar. Amiga para ele é pinga, as outras ele devora…

Para continuar lendo o restante do texto Faça Login ou Cadastre-se.

Cris Coelho

A minha literatura é livre de estereótipos, padrões e convenções. Ela entrega poesia onde há cotidiano. E renova minha fé em mim e no mundo. Cris Coelho, Escritora & Poetisa

One thought on “Malandragem

  1. Carlos Moraes disse:

    Espetacular!! Um dos melhores!!

Comments are closed.